An Lise De Coombs

Whindersson nunes _o dia em fotos

A Coreia do Sul na segunda metade do século atual representou o dinamismo do crescimento econômico de países em desenvolvimento da Ásia do Leste. Sem possuir uns pequenos recursos naturais consideráveis, faz aproximadamente 2% de VMP, tendo só 0,8% da população mundial.

As modificações na estrutura de mercadorias do comércio exterior encontraram a reflexão em uma troca da tecnologia. A característica principal da estrutura geográfica de uma troca da tecnologia é que como o seu fornecedor principal o Japão, mas não os EUA atua.

Os investimentos estrangeiros no território de países em desenvolvimento fazem-se com o objetivo de traduzir lá consumação do trabalho e ramos materiais e intensivos, usar a matéria prima local e o trabalho, nos países desenvolvidos — para dar volta a barreiras comerciais externas, adquirir o acesso a realizações científicas e técnicas de países de anfitrião.

Na estrutura da importação o lugar principal toma-se pelo equipamento industrial, matéria prima e gêneros alimentícios. A parte considerável de materiais industriais e combustível (41%) e 25% de mercadorias de capital reexporta-se. O peso específico de matéria prima e combustível excede meia da importação.

O mercado interno mostrou a exigência principalmente de produtos finais, especialmente em bens de consumo. Nisto e parcialmente durante o desenvolvimento econômico de período subsequente confiou no crescimento da indústria local e redução na importação de mercadorias que podem fazer-se no país.

Como os parceiros comerciais principais da Coreia do Sul em todas as etapas da industrialização o Japão e os EUA atuaram. Os países em desenvolvimento de ATR desempenharam um papel de fornecedores de tais mercadorias como óleo e outra matéria prima mineral, mercados comerciais de produtos industriais.

Em conjunto com os EUA um de líderes - os parceiros econômicos do RK é o Japão. Os problemas principais nas relações bilaterais unem-se com consequências da dominação colonial do Japão na Coreia, fricção na esfera comercial.